Nem luxo, Nem lixo - Saúde


"Não quero luxo, nem lixo,
Meu sonho é ser imortal meu amor,
Não quero luxo, nem lixo,
Quero saúde pra gozar no final..."
Rita Lee


Oi Pessoas...

Hoje quero falar de um assunto polêmico.
Na verdade, quando falamos de Dieta, sempre é polêmico. Fazer? Não fazer? Rígida? Da lua? Do Sol? Reeducação?

Quando iniciamos uma dieta com o objetivo de perder gordura corporal, os primeiros resultados são rápidos e parecem até mais fáceis. Mas com o passar do tempo a facilidade vai desaparecendo, o que leva muitas pessoas a desistirem de seus objetivos. Isto acontece devido às adaptações que ocorrem no nosso metabolismo.



É aí que entra o papel do “Dia do Lixo”. Você já ouviu falar?
O Dia do Lixo, é um dia em que as pessoas que estão em algum tipo de dieta, excepcionalmente, se permitem comer alimentos que normalmente estão proibidos em seu dia a dia.

Esse nome sugestivo se dá pela qualidade de alimentos que as pessoas optam por consumir nesse dia. É o dia em que você pode comer “tudo” aquilo que tiver vontade.
Essa prática é bastante controversa, existem muitas críticas e também muitas indicações de médicos e nutricionistas.

Normalmente o “Dia do Lixo” é permitido apenas uma vez na semana, mas a freqüência vai depender das respostas do seu organismo. No dia em que você escolher para ser o seu dia do lixo, pode comer o que quiser desde que, no dia seguinte, retome sua dieta.

A grande defesa para o dia do lixo é a alegação que iniciou esse post, de que o nosso organismo se acostuma com tudo, inclusive com a alimentação, por isso, introduzir uma alimentação completamente diferente poderia desencadear uma espécie de aceleração do metabolismo.

Outro motivo é o conforto psicológico, pois seria mais fácil manter uma dieta por um período mais longo, se de tempos em tempos, você se permitir comer coisas que realmente gosta. Além disso, seria uma forma de combater aquele velho conhecido mecanismo de defesa em que, pensando na sua sobrevivência, seu organismo passa a consumir menos calorias diariamente quando você faz dieta, pois interpreta que sua vida está em risco. O “Dia do Lixo” evitaria que seu organismo pensasse em fazer grandes reservas, liberando o consumo de calorias, proporcionando assim o emagrecimento.

Existem profissionais que defendem que o “Dia do Lixo” só seria adequado em momento de manutenção de peso, como uma forma de viabilizar uma reeducação alimentar a longo prazo, permitindo fugir da dieta uma vez por semana. Mas condenam esta prática quando a pessoa ainda tem peso a perder.

Além disso, há os que entendem que o dia do lixo não deve ser feito nunca, diante da bagunça que impõe ao organismo que estava acostumado com certa quantidade e qualidade alimentar e após receber um excesso de alimentos passará por privação e até mesmo poderá diminuir o metabolismo quando sua demanda não for atendida.

Uma situação que vale ser discutida é que algumas pessoas menos comprometidas tendem a estender o dia do lixo de quinta até domingo, esse tipo de comportamento certamente compromete os resultados e descredibiliza o método. Muitas pessoas sentem dificuldade em retornar para a dieta no dia seguinte. Eu penso que essas pessoas não estão preparadas para realizar o dia do lixo.

A verdade é que, na minha humilde opinião, a teoria só funciona para pessoas que estão em alto nível de motivação e em um momento em que a dieta realmente precise de alterações para continuar evoluindo. Lembre-se, o Dia do Lixo não é um dia de farra sem conseqüências, mesmo podendo comer o que quiser, deve haver moderação, caso contrário, pode ser um tiro no pé.

Para fazer uso dessa prática é necessário estar muito motivado, saber o valor do seu esforço e ter bom senso. Também é preciso estar consciente dos seus objetivos e saber que só por eles é que você está comendo besteira. E ainda, ter o mínimo de maturidade para fazer boas escolhas.

Eu não faço o dia do lixo, faço a refeição do lixo. Como me peso oficialmente toda sexta-feira pela manhã e em completo jejum, me dou o direito de fazer uma refeição de lixo no sábado, normalmente o almoço. Nessa refeição procuro evitar exageros que possam comprometer a minha evolução. Procuro evitar alimentos gordurosos, com um teor muito elevado de sódio e carboidratos. As minhas escolhas tem sido assim:

Grelhado, com salada e batata soutê da Zimbrus – que é enorme!
Churrasquinho de carne – 3 unidades (noite);
Sorvete de iogurte – tamanho médio – nesse caso, almoço normal e lixo só na sobremesa;
Duas fatias de pizza;
Sanduíche do Marieta;
Sanduíche do Subway;
Yakissoba;
Sushi;

Veja que são coisas que quem está de dieta não come todos os dias, mas são alimentos que não extrapolam como um rodízio de churrasco ou pizza.

Na refeição seguinte, lá estou comendo frutinha e sanduichinho de peito de peru, e muito feliz de saber que fiz tudo certo e tive o direito de comer algo fora da dieta. E ainda melhor, que estou de volta à dieta, firme e forte pra iniciar mais uma semana do resto da minha vida saudável.

Pergunte sobre o dia do lixo para o seu nutricionista, essa prática merece ser acompanhada por um profissional.

bjus

0 comentários: