NYC Parte I - Roteiro


Êita... bom de mais viajar em férias!!!

Os dias aqui em NY foram intensos e muito corridos, foi a forma que achamos de fazer tudo o que queríamos e conhecer ao máximo essa cidade eletrizante! Por isso abandonei um pouco o blog pra curtir minha viagem!! Sorry, mas agora começo uma série de posts detalhando os principais acontecimentos.
No post passado, com poucos dias em NY, eu defini a cidade como Eclética, hoje, aqui no aeroporto, esperando pra embarcar de volta pra casa, defino como FRENÉTICA. 
Sim, até mesmo nos momentos de lazer, restaurantes, teatro, caminhadinha no parque, os nova-iorquinos não perdem o ritmo e a palavra de ordem aqui é GO!!

Bom, mas nesse post quero falar sobre uma das primeiras coisas que fizemos pra que essa viagem desse certo e fosse um sucesso como foi, o roteiro.


Fazer o roteiro de uma viagem para a qual se tem tantas expectativas dá muito trabalho, mas é importantíssimo. Foi nesse momento que começamos a ter contato mais direto com a história, cultura e pontos turísticos de NY. Foram muitas pesquisas na internet, compramos guias de NY e discutimos ponto a ponto com nossos companheiros de viagem. E, tarann ele saiu! O Roteiro!
O primeiro dia chegamos 12h, portanto já não tínhamos muito tempo, planejamos comprar nosso “kit passaporte de turista”, a máquina fotográfica, aêeeee o blog terá fotos de maior qualidade, e tênis, com bom amortecedor para todos! Feito isso o Júnior foi o privilegiado, fomos na Guitar Center, pra ele escolher seu brinquedo novo, e fomos conhecer a noite na Times Square.



No segundo dia da viagem programamos o City tour, que nos daria uma visão geral da cidade, já cumpriríamos alguns pontos e escolheríamos onde queríamos voltar depois. Essa é uma das melhores dicas, sempre faça isso em todos os lugares, porque, primeiro você se localiza, conhece um monte de coisas, tira fotos e já se sente turista!!





Nos outros 13 dias, preenchemos com museus, monumentos, passeios, Broadway, um dia no outlet, um na Macy’s, várias compras pelas ruas e uns dois dias livres. O mais importante, foram os dias livres, pois nos proporcionaram uma flexibilidade no roteiro. Sim o roteiro existe, e é fundamental, pois sem ele nos perderíamos, não saberíamos o que falta fazer, mas já sabíamos que sairíamos do planejamento em alguns momentos e foi excelente, vale muito a pena fazer o roteiro e tentar segui-lo, mas não cegamente, não funciona. 

Agora que a viagem acabou, infelizmente, posso dizer que um bom roteiro, muita disposição pra acordar cedo e andar muito fazem parte de uma receitinha que deu certo. 

Bjoks

1 comentários:

Tathyana disse...

Amiga, vc é super oganizada, quandoc rescer quero ser como vc. E estou doida pra saber de tudo e ver as suas compras, rsssss. Vamos nos encontrar pra tomar um chá? Bjsssssssss